Quem é o Paulo?

Minha vida começou de verdade no 2º semestre de 2016, quando fui levado a olhar para dentro de mim e a repensar o que vinha fazendo até então. Havia algo que me corroía por dentro e, apesar de sentir que a solução não seria mais dinheiro e poder, não sabia ao certo o que fazer, como agir, para onde ir. Sentia que a cada dia me afastava mais do meu verdadeiro eu e isso me trazia uma angústia enorme.

Até que um dia essa angústia ficou insuportável.

Cansei de não ser eu mesmo, de não ver sentido na vida e no trabalho e então, após quatro anos trabalhando num banco de investimentos, pedi demissão.

Estava claramente sendo guiado, pois não fazia ideia de quais seriam meus próximos passos, o que iria fazer e para onde estava indo. Dei um salto de fé, me isolei de todo o ruído e mergulhei para dentro de mim. Confiei no que estava sentindo e mergulhei fundo. Tão fundo que cheguei a dar uma leve pirada.. rs

Sair de uma situação de total ignorância e compreender que sou um ser espiritual numa veste física me fez querer renegar tudo o que era material. Eu não queria mais trabalhar e não queria mais ganhar dinheiro.

O engraçado é que eu estava renegando o mundo material sentado no meu apartamento em São Paulo, conta bancária gorda, carro e moto na garagem, comendo fora todos os dias, viajando aos finais de semana.. Renegar o mundo material em meio a todo esse conforto é fácil, né?

Havia uma contradição enorme dentro de mim. Não querer o dinheiro, mas ao mesmo tempo querer e precisar. Você já se sentiu assim?

Tive que trabalhar muito nessa questão dinheiro vs espiritualidade para entender por que ao acordar para a minha realidade espiritual eu me vi tendo problemas com dinheiro sendo que ele nunca foi um problema para mim. Por quê de repente me vi com culpas e mágoas que nunca tive?

A grande sacada para mim foi entender que sou um ser espiritual vivendo uma experiência na matéria.

Me conectar com a minha real natureza foi como, após muito tempo perdido no mar, me lembrar que tinha uma bússola em meu bolso. Senti pela primeira vez na vida algum sentido em estar aqui. Eu finalmente tinha um Norte. A espiritualidade é a nossa bússola e a vida aqui na Terra são a águas que devemos navegar. De nada adianta navegar sem uma bússola. De nada adianta ter a bússola em mãos e ficar parado.

Eu custei a entender que o problema não era o mundo material, mas o uso que fazemos das coisas desse mundo. O dinheiro se bem utilizado é uma ótima ferramenta. Nos ajuda a comprar de volta o nosso tempo. Nos trás tranquilidade para que foquemos as nossas energias naquilo que realmente nos importa.

E como as situações têm o significado que atribuímos à elas, fui forçado a ressignificar o papel do dinheiro na minha vida e a utilizá-lo como uma ferramenta, não como um fim a ser perseguido a qualquer custo.

Eu digo forçado porque não havia outra saída: eu queria continuar a minha busca espiritual E queria ter liberdade e conforto. Liberdade para eu poder fazer com sabedoria o que eu sentia que precisava ser feito. Liberdade para agir livremente perante os meus sentimentos. Para focar as minhas energias naquilo que eu realmente acredito ser o caminho. Para viver a vida que eu quero viver, de acordo com os meus próprios termos, e não a vida que me impuseram, que me disseram ser a certa, pois liberdade é ter autonomia interior.

Comecei então a trabalhar internamente para encontrar uma maneira de colocar o meu trabalho a serviço da luz e do bem. De modo que ele atuasse como um instrumento de auxílio para a minha evolução e a do planeta. Dentro de mim, lá no fundo, eu sentia que não havia outra alternativa.

“(…) dedico meu ser à minha própria maestria e ao caminho da ascensão, tanto do planeta como o meu.”

(oração do Arcanjo Miguel)

Foi – e está sendo – um processo intenso. Muitas pessoas deixaram de fazer parte do meu círculo íntimo e novas chegaram.. E foi justamente na convivência com esses novos amigos que o Universo me deu um sinal. Comecei a ouvir essas frases com uma grande frequência.

 

“Minha vida até aqui não foi de prosperidade no campo material, mas riquíssima no campo emocional e espiritual. O Universo me diz: você já promoveu mudanças internas profundas, agora vamos olhar para o dinheiro porque não dá mais para fugir disso.”

“Existe um lado financeiro desajustado que eu preciso mudar”

“Eu não sei direito como que o dinheiro funciona, nunca ninguém me ensinou”

“O dinheiro pra mim é algo de outro mundo. Me sinto totalmente impotente, sem saber por onde começar”

“Falar sobre dinheiro me causa apreensão e nervosismo”

 “Eu não consigo acreditar que o dinheiro vai vir”

“Me falta a confiança de que vou conseguir ganhar dinheiro”

 

Havia um certo padrão na maneira com que meus amigos lidavam com o dinheiro.

Comecei então a confrontar o meu comportamento com o deles. E seguindo o princípio de que tudo é um efeito e Deus é a causa primária de todas as coisas, fui atrás de entender a causa primária do dinheiro em nossas vidas.

De onde surgiu? O que significa? Por quê algumas pessoas têm dificuldade em ganhar dinheiro enquanto outras têm facilidade? Por quê aos olhos da sociedade as pessoas que seguem o caminho espiritual “não podem” ganhar dinheiro? Por quê há tanto medo e culpa atrelados ao ganhar dinheiro? Como de fato ganhar dinheiro fazendo o bem? Como conciliar dinheiro e espiritualidade?

Depois de muito estudo, análise e prática ficou claro para mim que a maneira como lidamos com o dinheiro é um reflexo de como lidamos com a vida material como um todo. O segredo então é ajustarmos o nosso modo de viver de modo a permitir que a abundância do Universo flua em nossas vidas de maneira constante.

Digo ajustar porque é realmente um ajuste na nossa visão de mundo. Um ajuste em nossos pensamentos que acarretará em uma mudança de comportamento e por consequência, uma mudança nos resultados que alcançamos. E digo permitir porque somos nós mesmos que bloqueamos a abundância divina de se manifestar em nossas vidas.

Ajustamos a nossa visão de mundo ao entendermos como as coisas realmente funcionam. Ao entendermos que o dinheiro é uma ferramenta e ganhar dinheiro é uma habilidade, assim como tocar um instrumento e aprender uma língua.

A partir do momento em que entendemos a ferramenta e desenvolvemos a habilidade, incorporamos o conhecimento em nossas vidas e ele se torna um hábito, daí passamos a viver no automático, como escovar os dentes, dirigir.

Note que eu disse desenvolver a habilidade. Desenvolver é um processo de tentativa e erro. Requer suor, trabalho e entrega.

Enquanto não vivermos o que sentimos, não iremos viver integralmente. Precisamos abraçar nossas vontades, nossos desejos, pois não há certo ou errado. Há somente o que você sente dentro de você. E é seu dever viver o que você sente. Essa é a única maneira de sermos inteiros e nos conectarmos com o Todo.

 

“Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma.

Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo.”

(Herman Hesse)

 

Eu vou te ajudar a incorporar a energia do dinheiro na sua vida. Para que o seu trabalho possa ser uma expressão de quem você realmente é, e o dinheiro uma consequência do valor que você entrega para o mundo.

Vou te ajudar a ser um instrumento mais potente da luz, do bem. Para que você tenha mais autonomia e possa focar as suas energias no que te faz realmente feliz.

Tudo o que você precisa já está dentro de você!

Não existem fórmulas mágicas, nem respostas prontas. Só trabalho, empenho, dedicação e entrega.

Oremos e laboremos!

“Ore como se dependesse somente de Deus e aja como se dependesse somente de você!”

Rolar para o topo